quinta-feira, 1 de maio de 2014

HELICÓPTERO PROVOCA ACIDENTE NA CHAPADA DAS MESAS


PORTAL DA CHAPADA: Um dos locais mais fotografados do Maranhão
PORTAL DA CHAPADA: Um dos locais mais fotografados do Maranhão Foto: Reprodução
Ambientalistas prometem encaminhar denúncia formal à ANAC

Um helicóptero contratado por uma produtora de filmes a serviço da FIFA para realizar imagens da Chapada das Mesas pousou, na manhã de terça-feira, dia 29, a menos de quatro metros do Portal da Chapada – monumento geológico símbolo do Parque Nacional da Chapada das Mesas e um dos locais mais fotografados do Maranhão – provocando uma falha geológica de dois centímetros na rocha de aproximadamente 150 milhões de anos. O Portal da Chapada fica a 18 quilômetros de Carolina – 639 km ao sul da capital São Luís.

O helicóptero é um modelo Esquilo prefixo PPMFR, de propriedade da empresa PMR Táxi Aéreo e Manutenção Aeronáutica S/A, de Porto Alegre (RS). O piloto ainda não foi identificado, mas segundo o Movimento Ecológico Preservar (MEP), será encaminhada uma reclamação formal à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Para o ambientalista Deijacy Rego, o piloto do helicóptero não agiu corretamente ao pousar a aeronave no local. “O peso do helicóptero, de aproximadamente meia tonelada, causando o afastamento de dois centímetros entre as rochas, em poucos minutos adiantou entre quinze e vintes anos o que as atuais condições de visitação ao local causariam de prejuízo à falha geológica já existente [ver foto]”, diz o ambientalista.

Segundo Deijacy Rego, a divulgação das belezas naturais da Chapada das Mesas é importante para atrair turistas – criando, assim, uma nova fonte de renda para a região. No entanto, além da grande quantidade de pessoas ao mesmo tempo no local, subindo ali sem respeito às regras, usando motocicletas e automóveis, turistas sem compromisso com a preservação ambiental têm provocado prejuízos à natureza, deixando pichações e retirando pedaços das rochas para servir de lembrancinha da visitação. “Temos trabalhado para limitar as visitações ao Portal da Chapada no sentido de evitar o adiantamento da destruição definitiva. O vídeo que pode ser uma das maiores oportunidades de divulgação por causa da Copa do Mundo acaba provocando um prejuízo incalculável ao meio ambiente”, diz.

Nenhum comentário: