segunda-feira, 9 de abril de 2012

Caixa Econômica espera liberar R$ 10 bilhões em crédito para pequenas empresas

Banco anuncia redução de taxas para pequenas empresas no desconto de cheques, duplicatas e capital de giro
 
Monica Bento/AE
Monica Bento/AE A Caixa Econômica Federal anunciou na manhã desta segunda-feira um corte nos juros nas linhas de credito para pessoa física e micro e pequenas empresas. No cheque especial, por exemplo, a taxa baixou 67% para até 1,35% ao mês. No financiamento de veículos, caiu para 0,98%. Nas linhas em que os juros ficaram menores, o banco espera liberar R$ 71 bilhões entre abril e dezembro.


As medidas atingem 25 milhões de clientes do banco. Com o corte, a Caixa espera liberar R$ 10 bilhões em empréstimos para pequenas empresas. Ao todo, o banco prevê liberar no credito R$ 300 bilhões este ano, numero 24% maior que em 2011.


O presidente da Caixa, Jorge Hereda, destaca que é a maior redução de juros do banco e que a estratégia vai fazer o banco ganhar mercado. "É importante ser competitivo, tanto para não perder clientes como para ganhar", disse durante entrevista com a imprensa. O executivo destacou que na época da crise financeira mundial, o banco tinha 6% do mercado, fatia que chegou a 12,6% no final de 2011. "Queremos aumentar essa participação e ter a terceira maior carteira de credito do mercado."


Desde a noite da última quinta-feira, o banco público vinha veiculando um comercial na TV com a atriz Camila Pitanga informando que hoje anunciaria uma redução nos juros.


O Banco do Brasil cortou suas taxas na última quarta-feira. Na media, a redução foi de 35%. O BB fez cortes em linhas como financiamento de veículos, cartões e para pequenas e médias empresas.


O corte nos juros do BB e da Caixa faz parte de uma estratégia do governo para estimular o consumo interno pelo aumento do credito. O objetivo também é fazer com que os bancos privados sigam os públicos e cortem juros, para não perderem mercado.


As novas taxas para pequenas empresas

Capital de giro: a taxa passará de 2,72% para 0,94% ao mês - redução de 68,73% na taxa anual. O prazo máximo de pagamento foi estendido de 18 meses para 40 meses e os limites de contratação passam de R$ 60 mil para até R$ 1 milhão.

A caixa também reduziu a taxa para desconto de cheques e duplicatas. A taxa média passa de 1,72% ao mês para 1,25% ao mês. A redução na taxa anual, nesse caso, chega a 29,12%. (Do Estadão)

Um comentário:

Anônimo disse...

A queda juroas Capital giro, de 2,72% para 0,94%,
w 1m78% e nao 0,78% como Diz Camila Pitanga.