quinta-feira, 29 de março de 2012

ESQUEMA EM LICITAÇÕES ? Ex-deputada Terezinha Fernandes, João de Jesus e outros "companheiros" são denunciados pelo Ministério Público Federal

Terezinha Fernandes
O Ministério Público Federal no Maranhão (MPF-MA) denunciou a ex-deputada federal Terezinha das Neves Pereira, conhecida como Terezinha Fernandes, e mais cinco pessoas por envolvimento em esquema de montagem de licitações das secretaria estaduais do Trabalho e Economia Solidária (Setres) e de Desenvolvimento Social do Maranhão (Sedes) com as empresas Solar Consultoria de Eventos e Instituto Sinergia Gestão e Cidadania. Os convênios, firmados com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), totalizaram quase R$ 3 milhões.

A denúncia trata de supostas fraudes em 2006 e 2007, durante a gestão de Terezinha como secretária da Setres. Além dela, também foram denunciados o presidente da Comissão Permanente de Licitação (CPL), Júlio Gonçalves Simões, o assessor de planejamento, Marcelino Santos de Amorim, e os proprietários das empresas vencedoras das licitações fraudulentas, João de Jesus Costa e Ana Ares Silva, da Solar, e Gilberto Freire Santana, do Instituto Sinergia.

De acordo com a Procuradoria, foi comprovado que não houve publicidade nas licitações, e para os três processos foram convidadas as mesmas empresas. Além disso, embora o serviço contratado fosse para a capital do Estado, o Instituto Sinergia, com sede em Imperatriz, a 640 km de São Luís e reduto eleitoral da ex-deputada federal, foi convidado para os três processos.

Os proprietários das empresas vencedoras são aliados políticos da ex-secretária e foram doadores de sua campanha para deputada federal. De acordo com o procurador da República Juraci Guimarães Júnior, autor da denúncia, "a promíscua relação entre políticos e doadores de campanha proprietários de empresas que serão favorecidas em futuros contratos com a administração pública é uma das principais mazelas do sistema político brasileiro e vem merecendo forte atuação do Ministério Público Federal para combatê-la".

Segundo Guimarães, as investigações dos convênios ainda não terminaram e podem resultar em novas denúncias. Se condenada, Terezinha das Neves Pereira pode pegar uma pena de até oito anos de prisão. A pena dos demais denunciados pode chegar a quatro anos.

Além do MPF-MA, participaram das investigações a Polícia Federal e a Controladoria Geral da União (CGU) no Estado.  (Assessoria MPF-MA)

Meu comentário:


Desde que aportei em plagas tocantinas, conheci Terezinha (que na época assinava como "das Neves" e não Fernandes), esposa de Jomar Fernandes(ex-deputado, estadual e ex-prefeito de Imperatriz,  como uma aguerrida militante de esquerda, defensora dos fracos e oprimidos, da moral e da ética na política. Apesar de nunca ter sido do PT, fomos aliados em tantas batalhas na política imperatrizense e até estive com ela nos dois primeiros anos do governo Jomar. Depois, por cincunstãncias políticas diversas, seguimos caminhos diferentes.

Fiz esse preâmbulo para dizer que muito me entristece ter que postar essa notícia e sinceramente, gostaria que as acusações que pesam contra ela não se sustentem, pois considero que diante do que Terezinha sempre representou na política maranhense a constatação de veracidade nessa denúncia do MPF só causará maior descrença no povo, fazendo valer a máxima de alguns que "nenhum político presta," ou que "todo político é ladrão".  

De já me antecipo dizendo que acredito que o dolo não tenha sido proposital, mas por desleixo ou incompetencia, o que também não deve livrá-la de culpa.

Concluo informando que tentei ouví-la sobre a matéria mas não a encontrei, no que me coloco a inteira disposição, caso decida dar uma resposta ou se defender da acusação do MPF.

5 comentários:

Anônimo disse...

Josué,este é o estilo do povo da esquerda.Fazem atos desonestos,e que deixam brechas,que em algum momento poderá ser confundido com relapso e/ou incompetencia .Os esquerdistas são desonestos na gestão do bem público,porem a pior desonestidade dos mesmos,é na falta de coerencia nes atitudes cotidianas ,públicas e/ou particulares,pois todos são patriminialistas,todos são patrões,péssimos,e que não trabahham para pela igualdade entre as pessoas.Covardes,mentirosos,hipócritas.E são chegados à um lucrinho nas negociações publicas e particulares.Anti socialista.

Bruno Tocantins disse...

Militei no PT de Imperatriz, fui assessor de vereador e também me sinto responsável pela vitória de Jomar... e festejei muito aquela vitória - inclusive desisti de meu projeto de vida pelo momento que Imperatriz vislumbrava... Mas aos primeiros sinais de corrupção dos vereadores petistas e do prefeito Jomar, não pensei duas vezes e fui pra mídia denunciar a podridão instalada na prefeitura e na câmara. Botei eles lá, mas, ajudei a derrubá-los! Hoje não me sinto culpado, mas tenho a certeza do dever cumprido!

Anônimo disse...

no brasil. e maranhão se condena primeiro para depois enucentalos, o MPF como a policia Federal costa de fazer isso condenar, quero dizer quem condena é a justiça são os Juizes, peço aqui que o MPF tenha cuidado para não condenar pessoas inocentes.

Anônimo disse...

Bruno Tocantins mudou de nome por que o original dele está muito sujo por aqui, no meio da Igreja Católica, da política e da sociedade em geral....

Anônimo disse...

Meu caro Josué, você não sabe o quanto me espantei quando ouvi essa notícia dada pelo apresentador Arimateia. Fiquei preocupado em saber algo mais concistente sobre essa denúncia. Entrei no teu blog e tive acesso à matéria na íntegra. Senti-me como quem leva uma bofetada forte. Fomos, eu e você, contemporâneos de momentos politíticos efervescentes e apaixonados juntos com a ex-deputada. Não a imagino agindo dessa forma, porém os órgãos federal e estadual dão detalhes que espantam, isso baseados em investigações já realizadas por esses órgãos. Veio-me à memória momentos de agonia que passei quando pertencia à direção do Partido dos Trabalhadores onde fui por duas vezes acossado contra o muro pela maioria dos petistas, com exeção do Compenheiro virgilio e mais uns quatro. Queriam que eu afirmasse como de minha autori, coisas que eram interrogação populares sobre atos do governo municipal e ou de pessoas nele integrado, e por caisa dessa cobrança fui assintosamente ameaçado de processo pelas duas lideranças do partido, Sendo a ex-deputada uma dessas lideranças.
Pela graça de Deus Não conseguiram tal intento. Não tenho prazerde ler tal notícia, porém o tempo é conselheiro e mestre. Retirei-me do partido e da política. Meu último ato com referência a tudo isso foi A poesia que vai a seguir:

NATUREZA MORTA
Na procela, na batalha: uma vida.
O horizonte sempre à frente, sempre à vista.
Na esperança, a energia da conquista.
Na alma, a razão, o indignar.
- Somos irmãos! Este é o norte! - Era o falar.

A superfície do oceano esconde o vero,
Pois, bramam os feros animais nas autas ondas.
E indignados, com a fúria da Anaconda,
Ao frágil barco, sem razão querem parar.

Em fim, ileso da emboscada e da tormenta,
De frágil quilha, na areia o barco aporta.
Vai compor a natureza morta.
Tal vez tornar-se um canteiro pronto ao vício.
Pois, ao doente, o seu ofício é sentir dor.
E ao “doutor”, a dor dos outro é seu ofício.

Antonio Pereira Amorim
opoeta.04-12@hotmail.com